Bertha Rosanova deixa um legado e muita admiração

Em 31 de agosto de 1930 nascia Bertha Rosanova, minha conterrânea santista.

Sua trajetória profissional iniciou-se aos 8 anos, quando ingressou no curso de balé da Escola Oficial de Dança do Teatro Municipal do Rio e, precocemente, aos 13 passou a integrar parte do corpo de baile, encenando a ópera “Fausto”, de Gounod.

Na década de 40 ganhou seu primeiro prêmio como revelação e chega ao posto de primeira-balarina do Municipal, apresentando-se como protagonista de “Quebra-Nozes”, de Tchaikovsky. Permaneceu em tal posição até 1960, quando então passou a ensaiadora.

Recebeu também o prêmio Nijinsky e a Medalha Pedro Ernesto.

Sob direção da russa Eugênia Feodorova, Bertha estrelou “O Lago dos Cisnes”, primeira vez que o balé foi montado em sua versão completa (4 atos) na América Latina. Por tal trabalho tornou-se a única brasileira com o título de primeira-bailarina absoluta.

Ontem, 13 de outubro de 2008, o mundo ficou menos musical e dançante com a partida deste ícone nacional da dança. Aos 78 anos, um câncer fez com que os fortes traços de Rosanova ficassem serenos.

O enterro foi no Rio de Janeiro, no Cemitério Israelita de Vilar dos Teles, em São João do Meriti. Rosanova deixou um legado.

Anúncios

Autor: @AnaVictorazzi

PMO | Marketing Manager | Content and Communication Specialist | Mãe do Preguiça, do Soneca e da Carpet, dois gatinhos resgatados e um idosa ceguinha adotada.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.